Arquivos After We Collided - Josephine Langford BrasilJosephine Langford Brasil

Mostrando posts em "After We Collided"


Por Anna Menta (23 de outubro de 2020).

Desde a época de Shakespeare, a atração irresistível de jovens amantes infelizes tem sido uma fórmula para o sucesso. Tessa e Hardin não são muito parecidos com Julieta e Romeu em After: Depois da Verdade – a sequência de After (2019), mas há uma enorme quantidade de angústia e beijos. (E muito mais do que beijos também.)

Dirigido por Roger Kumble, After: Depois da Verdade encontra Tessa e Hardin em uma encruzilhada. Tessa largou Hardin no final do primeiro filme, depois de perceber que ele só quis ficar com ela por causa de uma aposta. Hardin insiste que ama Tessa e quer ficar com ela novamente. Ele também está com ciúme absurdo do colega de trabalho de Tessa, Trevor (Dylan Sprouse) de seu novo estágio.

Os críticos que afirmaram que o primeiro filme glamorizava relacionamentos abusivos encontrarão mais para apoiar sua tese na sequência, mas isso não impedirá os fãs de devorarem o filme e suas próximas sequências, After We Fell e After Ever Happy, que tiveram luz verde para produção consecutiva no mês passado. E para Langford, a estrela australiana de 23 anos, o relacionamento tóxico faz parte da história.

“Há muitas coisas que absolutamente não deveriam estar acontecendo”, disse Langford a Decider em uma entrevista por telefone. “É sobre duas pessoas que não se comunicam e há muitos problemas”.

Decider falou com Langford sobre o retorno de Tessa Young, a forma responsável de filmar cenas de sexo, e o que ela espera em After 3 e After 4.

Como foi sua experiência de interpretar Tessa Young em After: Depois da Verdade em comparação com sua experiência no primeiro filme?
É realmente ótimo ter a oportunidade de fazer isso de novo e voltar com o mesmo elenco e equipe em Atlanta. Essa garota está em uma fase diferente de sua vida neste filme. Ela está começando um estágio. Ela acabou de terminar com seu primeiro amor, e ela teve seu primeiro coração partido de verdade. É muito divertido interpretar o mesmo personagem, mas em um estágio diferente de seu desenvolvimento.

Como você acha que Tessa cresceu desde After?
No primeiro, eu a vejo mais como uma bola enrolada. E agora ela está se expandindo. Ela tem mais confiança e está mais confortável com sua sexualidade. Ela está mais confortável com seu corpo, claro; mas também sinto que ela tem mais confiança em si mesma e como mulher, e mais experiência, agora, em certas áreas da vida. Eu acho que isso refletiu nas roupas e na maquiagem, e apenas nas cenas que fizemos, eu tive que mostrar isso.

Como foi trabalhar com a sua co-estrela, Hero Fiennes Tiffin, desta vez? 
Ele se preocupa muito com o conforto e isso é muito bom. Especialmente quando você está fazendo algo assim, onde há cenas realmente íntimas e cenas muito sensíveis. Você, idealmente, deseja trabalhar com alguém que se preocupa muito com o meio ambiente e com o seu conforto. Isso é um grande privilégio. Sim, nós também nos damos muito bem, então isso é sorte. Eu acho que é bom, e acho que torna todo o processo mais fácil quando – não apenas Hero, mas quando o elenco e a equipe – quando todos se dão muito bem. É apenas um ambiente muito bom.

O que as outras pessoas não sabem necessariamente sobre Hero?
Bem, estou com medo disso! Porque não quero dizer algo que não deveria. Eu diria… bom gosto musical. Sempre gosto quando as pessoas têm gostos diferentes que são exclusivos delas. Bom gosto musical. Muito rap britânico, que não conheço.

E sua nova co-estrela, Dylan Sprouse. Qual foi a melhor coisa sobre trabalhar com ele? E qual foi a pior?
Vamos começar com a pior. Não, ele é um ator muito focado, mas é muito amigável. Ele é divertido, amigável e focado. Sim, isso é realmente ótimo. Ele também tem feito isso desde sempre. Ele se sente confortável na frente de uma câmera. Isso é muito bom. Na verdade, há muitos atores nesses filmes que são mais velhos e que tiveram muita sabedoria para compartilhar e outras coisas. A pior parte de trabalhar com ele? Eu não sei. Nada. Foi tudo ótimo.

Há muito mais cenas íntimas no segundo filme do que no primeiro. Qual é a sua abordagem para se sentir segura e confortável nessas cenas em que Tessa e Hardin estão juntos? O que você precisa dos diretores e co-estrelas?
É muito importante estudar as cenas, obviamente, e saber exatamente o que está acontecendo. Você quer um ambiente sensível e confortável – isso nem sempre acontece. Porque há pressões de tempo quando você está fazendo filmes. Mas, idealmente, você quer um ambiente onde tenha tempo adicional para essas cenas, de modo que, se alguém estiver se sentindo desconfortável, ninguém pressione para continuar devido às limitações de tempo. Mas, além disso, não tenho nenhum pedido especial. Posso ser estranha, no sentido de que às vezes essas coisas, pelo menos para mim, podem ser mais fáceis do que conflitos realmente emocionais – uma cena textual, em que você tem que ser emocionalmente vulnerável com alguém. Muitas vezes, eu apenas vejo [as cenas íntimas]como dança e coreografia.

Assistindo a esse filme, não consigo deixar de sentir que Tessa e Hardin não têm um relacionamento saudável. Como espectadora, como você se sente? Você está torcendo para que eles fiquem juntos para sempre?
É difícil ver objetivamente, porque você meio que tem que estar dentro da cabeça dela. Mas eles não estão, e essa é a história. É exatamente disso que se trata a história: é sobre duas pessoas que não se comunicam e há muitos problemas. Há muitas coisas que absolutamente não deveriam estar acontecendo. É sobre: ​​’bem, eles podem resolver isso? E eles conseguem superar isso? Qual é o resultado final?’ Eu realmente não quero compartilhar minha opinião sobre isso até que eu esteja fora da personagem, e eu possa olhar para isso de forma mais objetiva.

Que conselho sobre relacionamento você daria a Tessa, se ela fosse sua melhor amiga? 
Acho que diria apenas para comunicar, mas diria isso a todos. A comunicação é tão importante, e não se trata apenas de fazer isso. É sobre como você faz isso. Porque realmente é uma habilidade. Eu estava ouvindo este podcast de Brené Brown outro dia sobre desculpas. Dizendo: “Isso não é realmente um pedido de desculpas. Você tem que dizer assim.” Eu estava tipo, “Oh meu Deus. Isso é fascinante e é verdade.” Acho que a comunicação é fundamental.

Ouvimos dizer que os próximos dois filmes sequenciais terão sinal verde, After We Fell e After Ever Happy, o que é empolgante. Você começou a filmar?
Não sei se posso dizer. Realmente não sei se posso dizer. Mas devo dizer que estou animada para continuar esta história. Pivot! Estou muito animada por podermos continuar a história, já que você nem sempre tem essa oportunidade. Eu acho muito bom que esses personagens e esse relacionamento vai ter um encerramento, e algum tipo de resolução. Ou pode não ser! Teremos que ver. Mas sim, estou emocionada. E também sou muito grata por essa base de fãs porque eles estão nos encorajando e nos apoiando e nos motivando.

Você leu o que acontecerá nos livros? Há algo neles que você está ansiosa para ver?
Eu li. E tentei ler o máximo que pude antes de aceitar o papel, porque você quer saber no que está se metendo. Então, eu sei para onde está indo. Mas é uma adaptação, então pode não aparecer nos filmes. Eu não sei!

A Decider cobre todas as coisas de streaming, então minha última pergunta é: quais programas de TV e filmes você tem assistido durante a pandemia? Alguma recomendação?
Eu acho que todo mundo já viu Normal People, que é realmente fenomenal. Eu meio que entrei em uma fase de comédias de época, como The Great. E eu assisti novamente A Knight’s Tale e Life of Brian e todas essas coisas. Mas The Great é realmente ótimo. Esta é a minha resposta: The Great.

Matéria: Decider.
Por Jason Pham (23 de outubro de 2020).

A vida de Josephine Langford não mudou muito desde a franquia After“Há muito mais edições minhas na Internet do que nunca”, diz ela ao StyleCaster. “As pessoas dizem: ‘Oh. Achei que você estava grávida porque vi uma foto na internet de você com um bebê. ‘ Eu fico tipo, ‘Não. Eu não estou grávida.'”

Mas tirando as edições e os raros momentos em que ela é parada na rua por fãs, sua vida é quase a mesma. “Eu tenho os mesmos amigos. Eu faço as mesmas coisas. Nada realmente mudou para mim no meu dia a dia”, diz ela. 

Embora sua vida não tenha mudado, o mesmo não pode ser dito para os fãs da franquia After, uma série de filmes baseada no romance de 2014 de Anna Todd (e na fanfiction de Harry Styles ) com o mesmo título. O primeiro dos filmes, After, foi lançado em 2019. O segundo filme, After We Collided, estreou em 23 de outubro de 2020. Langford também confirmou que um terceiro e um quarto filmes estão em andamento. Na série, Langford estrela como Tessa Young, uma caloura na faculdade que começa um relacionamento com Hardin Scott (Hero Fiennes Tiffin), o bad boy local de sua faculdade. After We Collided segue a história de amor de Tessa e Hardin depois que ela descobre que ele só a namorou por causa de uma aposta. 

“Tessa está em uma fase diferente em sua vida”, diz Langford sobre como After We Collided é diferente de After. “Ela não é mais caloura na faculdade. Você está interpretando uma garota depois que ela teve um coração partido. Ela está começando um estágio. Ela está em um ponto diferente em sua vida.”

Adiante, Langford conversou com a StyleCaster sobre se ela gostaria de um relacionamento como o de Tessa e Hardin, como o personagem de Dylan Sprouse – Trevor Matthews – afeta o relacionamento deles e o que os fãs podem esperar do terceiro e quarto filme após o suspense em After We Collided.  

Sobre se ela gostaria de um relacionamento como o de Tessa e Hardin: 
“Minha opinião sobre os relacionamentos agora – e isso muda – é que deve ser fácil. Eles têm um relacionamento muito difícil e um relacionamento muito desafiador. Não é o relacionamento ideal. Não é essa a história. Na verdade, é disso que trata toda a história. Para mim, pessoalmente, acho que deve ser fácil. Deve ser simples. É importante saber que [seu relacionamento]não é a norma. Na vida real e não na ficção, se você está nessa situação, tem que estar muito atento ao que está acontecendo.”

Sobre quem ela acha que é melhor para ela, Hardin ou Trevor:
“É difícil quando você começa a julgar seu personagem ou tem uma opinião pessoal. No momento, ela está voltada para Hardin. Não acho que ela jamais tenha se voltado verdadeiramente para Trevor. Talvez eles tenham algum tipo de conexão. Mas acho que sempre foi Hardin para ela.”

Sobre quem é mais parecido com seu personagem, Dylan ou Hero:
“Hardin é um personagem tão específico que eu teria que escolher Dylan porque ele também é inteligente e legal como Trevor.”

Sobre o que os fãs podem esperar do terceiro e quarto filmes:
“O segredo foi solto. Estamos filmando o terceiro e quarto filmes. Estamos no meio das gravações agora. Não seu o que posso dizer, mas talvez o pai tenha um papel a desempenhar em sua história. Ele definitivamente tem nos livros. Tessa não viu seu pai por dez anos. Ter alguém de volta na sua vida depois de um período de tempo tão significante e tendo que lidar com os obstáculos disso, adicionou algo a mais no relacionamento de Tessa e Hardin. Não quero contar demais, mas afeta eles. É um desafio que eles tem que tentar superar como qualquer outro. Mas acho que eles terão um final feliz.”

Sobre as mudanças de elenco do terceiro e quarto filmes:
“Estou animada porque trabalhei com alguns deles até agora. Chance [Perdomo], Arielle [Kebbel], Stephen [Moyer] e todos são super talentosos, adoráveis ​​e incríveis de se trabalhar. Assim como Shane [Paul McGhie], Candice [King], Charlie [Weber] e todos os outros. Tenho muita sorte de ter tido uma experiência positiva de trabalhar com tantos atores maravilhosos.”

Em suas esperanças por Tessa:
“Se dependesse de mim e não houvesse mais história ou livro, eu só gostaria que ela fosse feliz. Ela também fez uma jornada de autodesenvolvimento. A jornada de Hardin é mais notável, mas ela também fez uma jornada. O relacionamento com sua mãe muda ao longo da história. Quero que ela seja feliz e continue em sua jornada pessoal de crescimento pessoal.”

Sobre como ela é semelhante e diferente de Tessa:
“Somos semelhantes em alguns aspectos. Com cada personagem que você interpreta, você se encontra neles. Caso contrário, como você faz isso? Mas somos pessoas diferentes, além do óbvio. Somos de países completamente diferentes. Existem partes que são semelhantes e partes que são diferentes. Nós dois podemos ser teimosas. Não sou uma leitora e ela é uma leitora. Eu gostaria de ser um leitora. Mas temos um neuroticismo semelhante.”

Matéria: StyleCaster.
Por P. Claire Dodso N. (23 de Outubro de 2020).

“Acho que a sociedade tem um grande problema com as adolescentes e a vergonha. Suas revistas, sua música, seus interesses e suas opiniões, acho que adoramos envergonhá-las.”

Quando questionada sobre as filmagens da série de filmes de sucesso After, a estrela de 23 anos Josephine Langford é rápida em elogiar seus colegas de trabalho, grata pela oportunidade de contar histórias (e esta especificamente) e rápida em desviar a atenção de ela mesma.

Ela pegará uma pergunta mais pessoal e a tornará ampla, claramente consciente do que está dizendo e como isso vai soar. O que é interessante para você em interpretar Tessa? O que é divertido? Ela quase se assusta com a pergunta. “Normalmente não me perguntam isso”, ela ri, cautelosa. “Normalmente me perguntam, ‘O que você se relaciona com ela?’ ou eles dizem; ‘Você é muito semelhante.’

Josephine está falando com a Teen Vogue da Bulgária, onde ela está atualmente filmando duas sequências de After. Ela representa um lado da dinâmica do relacionamento turbulento e confuso de Tessa Young e Hardin Scott (Hero Fiennes Tiffin) na tela; no cinema, Tessa está se separando de pais super protetores e aprendendo a pensar por si mesma. Josephine, porém, parece mais avançada do que sua personagem: mais reflexiva, mais propensa a analisar suas experiências no contexto de outras pessoas. Por tudo o que sabemos sobre Tessa, sabemos muito menos sobre a atriz que a interpreta, um movimento que, especialmente quando você faz parte de uma franquia com uma base de fãs tão grande, parece compreensível.

Sua resposta à pergunta sobre Tessa é cuidadosa. “Ela é confiante, exceto que ela é insegura de maneiras diferentes”, diz ela sobre Tessa, uma personagem que às vezes é difícil de interpretar. “Ela está em sua própria jornada de autodesenvolvimento. Não é tão falado quanto a jornada de Hardin porque talvez seja menos óbvio.”

Isso é definitivamente verdade em After We Collided, um filme que é principalmente narrado por Hardin, o interesse amoroso intermitente de Tessa. No início do filme, Hardin dá um monólogo apaixonado sobre ter um dom para o drama (que pode ser lido como uma linguagem um tanto codificada para seus crescentes problemas de controle da raiva). Tessa, como Anastasia Steele e Bella Swan, tem motivações mais complicadas. No segundo filme, ela está claramente tentando recuperar um pouco do poder perdido, embora não tenha certeza de como. “Você tem duas opções aqui, ou você me f*** ou vai embora”, ela diz a Hardin ousada e bêbada, depois que ele rastreia sua localização no hotel sob o pretexto de “protegê-la”.

Por alto, After é sobre a jornada de Tessa da inocência à experiência. Mas também é principalmente sobre o relacionamento deles, e a bagagem emocional e dinâmica familiar complexa que Hardin e Tessa trazem para ele. Os romances e seus homólogos do cinema ganharam um imenso fandom online, levando o primeiro filme After a arrecadar quase $ 70 milhões globalmente contra um orçamento de $ 14 milhões. Mesmo no meio de uma pandemia que limitou severamente a indústria do entretenimento, o lançamento escalonado de After We Collided nos cinemas europeus rendeu US $ 21 milhões em 13 de Setembro, informou o Deadline .

O primeiro filme After foi o maior papel de Tessa até agora. Josephine se lembra de atuar em uma peça na escola quando tinha cerca de oito anos de idade e perceber como era divertido fazer as pessoas rirem. “É uma sensação muito gratificante”, diz ela. “É um barato.” Antes de After , a estreia de Josephine veio com o filme de terror de 2017, Wish Upon, onde ela interpretou a valentona do colégio de Joey King. Foi um momento de virada não por qualquer motivo de ego, mas porque provou a si mesma que ela poderia ser uma atriz profissional.

Quando falamos no telefone, o elenco está no seu quinto dia de filmagem da sequência, e ela tinha acabado de sair por três horas com a nova adição do elenco, Chance Perdomo – que substituirá Shane Paul Mcghie como Landon – e Castille London, a terceira diretora que comandará a franquia After.

“Normalmente exploramos um pouco, vemos a cidade e conhecemos pessoas”, diz ela, “mas a vista da minha janela tem sido incrível. Estou tentando aprender um pouco de búlgaro e não estou indo muito bem, mas sei algumas coisas.” A vista de sua janela é exuberante e verde, com montanhas e árvores emoldurando a paisagem urbana. Viajar de LAX para um país no sudeste da Europa marcou a primeira vez que Josephine viajou para fora de Los Angeles desde o início da pandemia.

“Eu meio que fiquei presa lá, mas também foi uma escolha. Acho que venho praticando para o isolamento há um tempo, então estava tudo bem. Só acho que sou boa em ocupar o tempo sozinha”, diz Josephine, que cresceu na Austrália com sua irmã, a também atriz Katherine Langford. É onde sua família ainda reside.

Tem sido difícil planejar uma viagem para casa, dadas as restrições de fronteira da Austrália , mas ela está ciente de que sua situação poderia definitivamente ser pior. “Eu me sinto mal falando sobre isso e quase parecendo, ‘ai de mim’, porque me sinto muito sortuda com a posição em que estou e tenho amigos ao meu redor”, diz ela, mais uma vez relutante em falar sobre ela. “Acho que muitas pessoas não podem voltar para ver a família no Natal. Esta é apenas a situação global e está afetando a todos. Sentimo-nos realmente sortudos por termos voltado e fazer o terceiro e quarto filme e poder trabalhar durante isso para terminar a história.”

É uma história e tanto para terminar. Os livros têm uma forte origem online, foram adaptados de uma fanfiction de Harry Styles que a autora Anna Todd uma vez publicou na plataforma popular Wattpad. É impossível falar sobre o sucesso de After sem falar sobre seu relacionamento com o fandom. Do mesmo jeito que em Euphoria, uma série que contém parte de uma fanfic sobre One Direction como parte da narrativa de Barbie Ferreira, acabou gerando sua própria fanfic, e a mesma coisa aconteceu com After. Agora, no Wattpad, você consegue ler quase 400 histórias sobre Hessa, nome do relacionamento entre Hardin e Tessa. Escolha uma, e você estará lendo uma fanfic baseada em outra fanfic.

Assim como acontece com tantas coisas que os adolescentes amam neste século, os fãs do After se reúnem online, no Tumblr e no Wattpad e no Twitter, exibindo hashtags em alta e celebrando os personagens lançados. O discurso sobre After– que é essencialmente Cinquenta Tons de Cinza para o conjunto de jovens adultos, por exemplo diz muito sobre a vergonha que Josephine menciona. O instinto imediato de descartar o que é popular, especialmente quando mulheres jovens estão impulsionando essa popularidade, é tão real com After como era com Fifty Shades e Twilight antes dele.

“Acho que a sociedade tem um grande problema com as adolescentes e envergonhá-las por seus gostos”, diz Josephine. “Suas revistas, suas músicas, seus interesses e suas opiniões, acho que adoramos envergonhá-los. E vergonha é a palavra-chave, porque não é apenas: ‘Não gosto disso que você está interessado’. É, ‘Eu não gosto dessa coisa em que você está interessado e você é estúpido por gostar.’ ”

Quando Josephine fala sobre a vergonha que a sociedade lança sobre as adolescentes, sua voz se torna mais firme, suas palavras mais objetivas. É claro que é um assunto com o qual ela se preocupa. A própria Josephine não é uma leitora de fanfiction, embora ela diga que o sucesso de After lhe deu um grande apreço pelos lados positivos do fandom . “Quando eu realmente encontro pessoas que são fãs dessas histórias em um tapete vermelho ou em uma turnê de imprensa ou na rua, eu vejo as pessoas falando sobre como elas estão tão felizes que esses livros que amavam foram transformados em filmes”, diz ela. “É muito bom ver isso, ver o quão positivo, apoiador e tão bom que muitas dessas pessoas são, e o quão favorável e encorajador você está desempenhando este papel.”

Ela diz que muitas vezes ouve dos fãs que o que eles mais apreciam na história é sua “intimidade suave, os momentos de intimidade mais não sexuais”. A própria Josephine é atraída pelo progresso de Tessa. No final do quarto livro, ela está “em um ponto muito diferente” do que no primeiro capítulo.

“Vergonha é a palavra-chave, porque não é apenas: ‘Não gosto disso que você está interessado’. É, ‘Eu não gosto dessa coisa em que você está interessado e você é estúpido por gostar.’ ”

No entanto, há discussões reais sobre os temas de After e suas sequências. Em After We Collided , Tessa e Hardin lidam com as consequências do primeiro filme, no qual é revelado que Hardin namorou Tessa apenas para partir seu coração por uma aposta. O de Tessa é aquele em que ela desenvolve poder em sua tomada de decisões e consciência de sua sexualidade. Já o de Hardin é mais sobre a cura emocional de traumas que ele experimentou quando criança; ele regularmente age de maneiras imprevisíveis, rudes e até mesmo perseguidoras em relação a Tessa. Frequentemente, eles se acusam de trapacear ou de pensar em trapacear. O relacionamento foi fortemente dissecado online, com muitos argumentando que os livros romantizam uma dinâmica abusiva.

“As pessoas podem pensar que Hardin é um mau exemplo mas ele não deveria ser um bom exemplo para um namorado”, disse a autora Anna Todd à Refinery29 no ano passado. “Tessa e Hardin falam sobre como o relacionamento deles está ruim. É muito claro que os dois estão infelizes na maior parte do tempo.”

Qual é a linha entre mostrar algo real e intenso, e fingir manipulação como aspiracional? Josephine, por sua vez, disse que a maneira como o relacionamento deles se desenvolverá nos filmes futuros vai mostrar o que é necessário para que eles se reúnam de uma forma mais saudável.

“O relacionamento deles progride apenas quando ele vai para a terapia e começa a lutar boxe como uma válvula de escape, e há muito trabalho e autodesenvolvimento que é feito”, diz Josephine. “Eles precisaram de muita distância e ficaram muito tempo separados, e então eles se vêm e se encontram. Para não dar spoiler a quem ainda não terminou a história, mas esse é o desenvolvimento e a progressão de seu relacionamento. É sobre duas pessoas que tiveram formas diferentes de traumas na infância, e esse relacionamento muito intenso e confuso, e como isso muda com o tempo.”

Você pode imaginar que fazer parte de um projeto com um grande fandom pode vir com seus fatores estressantes, mas Josephine diz que sua vida não mudou muito em um ano e meio desde o primeiro filme After. Ela não está realmente envolvida nas plataformas online, embora diga que seus amigos lhe mostram coisas que serão comentadas. Essa mentalidade permite que ela evite as partes negativas e inevitáveis ​​da fama. “Eu geralmente sei o que está acontecendo”, diz ela. “Só não acho que seja saudável pesquisar no Google ou tentar sair e ver intencionalmente o que está escrito sobre mim.”

Durante nossa entrevista, Josephine está continuamente consciente de como ela apresenta sua vida, que, nas redes sociais, é notoriamente privada. Seu próximo papel, na comédia dramática de Amy Poehler na Netflix , Moxie, é sobre uma adolescente popular que está lidando com muita coisa sob a superfície. Josephine disse à Schön Magazine recentemente em relação a Moxie que “falsas suposições” a incomodam, e ela disse à Teen Vogue que isso se aplica a ela também. Ela acha que as pessoas entendem coisas erradas sobre ela? “Sim”, ela diz, antes de acrescentar que “muitas pessoas se sentem assim. Não acho que sou especial ou única por sentir isso.”

Ela explica ainda que são “falsas suposições e expectativas … uma falta de empatia ou de realmente conhecer alguém antes que as pessoas a julguem”. Talvez isso aconteça com o fato de fazer parte de uma franquia de jovens adultos globalmente amada, uma história que é simultaneamente adorada e criticada de forma construtiva e por muitos, envergonhada apenas por atrair um público feminino geralmente jovem. Mesmo assim, ela parece estar assumindo novos projetos em seu próprio ritmo, sem nenhuma pressa em deixar After para trás. Também há um desenvolvimento e uma progressão em sua carreira.

“Consigo dedicar um pouco mais de tempo ao que quero fazer a seguir, e é muito bom ter o privilégio e a liberdade de poder fazer isso”, diz ela. “Eu acho que é mais realista, quando você está começando como ator, é importante manter o equilíbrio. Para não dizer ‘OK, bem, não vou fazer nada agora, exceto um filme do Tarantino.”

Matéria: Teen Vogue.
Por Team Grazia (30 de setembro de 2020).

Foi o filme de 2019 que pegou a Geração Z de surpresa. A ideia de Anna Todd, autora da série de livros After, chamou a atenção dos cineastas quando se tornou viral em um site de fanfiction da Internet em 2013. Agora, a série fez um retorno fumegante para a aguardada sequência After: Depois da Verdade. Estrelando a exportação australiana, Josephine Langford, o inglês Hero Fiennes-Tiffin e o americano Dylan Sprouse, o episódio recém-lançado mostra Tessa (interpretada por Langford) lutando com seu relacionamento complicado com Hardin (Fiennes-Tiffin) enquanto é tentada por Trevor (Sprouse). O dilema de Tessa pode mudar suas vidas para sempre.

Dentro do filme, a dinâmica coletiva está repleta de suspense e tensão sexual, mas, fora do cenário, o trio talentoso exala nada além de energia e sarcasmo alegre.

“Somos pagos para gostar um do outro”, brinca Sprouse ao falar com nossa diretora editorial, Jessica, por meio de uma ligação da Zoom.

Numa conversa sobre amor, confiança e essas  cenas, colocamos os dilemas dos personagens para os atores – e vemos o que eles fariam quando se trata de questões da cabeça versus do coração.

Parabéns por este filme! É muito mais sexy do que o primeiro. Hero e Josephine, essas cenas quentes são um desafio para filmar?
Josephine: Cenas que [exigem que sejamos]emocionalmente vulneráveis ​​podem ser mais difíceis do que cenas [onde]temos que ser fisicamente vulneráveis. Quando você está fazendo isso com alguém em que você já teve essa dinâmica e já fez isso antes… e quando você está fazendo em um ambiente profissional, é muito técnico e é muito parecido com qualquer outra cena.

Dylan, nós amamos você neste papel – e em um terno! Trevor é muito bom em suas primeiras interações com Tessa no elevador. Você era tão bom assim na vida real quando se tratava de flertar?
Dylan: Uh não, nem um pouco. Eu era uma criança maior que a média, passei minha adolescência consumindo muito pudim de tapioca e nunca fui um sucesso com as mulheres. Na verdade meu irmão era muito mulherengo, eu nunca aprendi e pelos deuses é um milagre eu conseguir ter a namorada que tenho hoje. Mas eu usei muito a atuação para tentar interpretar essa cena.

Hero, falamos com você durante a coletiva de imprensa do primeiro filme e você disse que uma das maiores lições que aprendeu em um relacionamento foi ser honesto. Foi mais difícil interpretar Hardin neste filme porque, como vemos, ele não é tão honesto às vezes?
Hero: É uma boa pergunta. Eu acho que quando seu personagem faz algo com o qual você não concorda necessariamente pessoalmente, como ser honesto em um relacionamento, você meio que tem que separar suas próprias opiniões disso quando está desempenhando o papel – eu acho que se coloque em uma posição onde você concorda totalmente e apóia tudo o que eles fazem e dizem. Cheguei a um ponto onde entendi o raciocínio de por que ele não seria assim. Talvez tenha sido um pouco desafiador no início, mas você realmente só precisa se colocar no lugar deles e apoiar totalmente todos os seus pensamentos e ações. Eu acho que fiz isso.

Josephine, Tessa está tão crescida neste filme. Ela sempre teve uma grande bússola moral, mas nesta edição, ela está muito mais confiante nisso e dentro de si mesma. Você é uma australiana que entrou em outro mundo que é Hollywood – houve um momento em que você, como Tessa, realmente começou a afundar em sua própria confiança?
Josephine: Não, eu ainda acho que estou lidando com isso para ser honesta. Você se acostuma com as coisas e aprende coisas e lentamente vai tornando-se o novo normal. Sou horrível, mas estou melhorando em responder perguntas de uma forma coerente com uma estrutura de frase normal. É algo com que geralmente tenho dificuldade.

Esta pergunta é para todos vocês. Quando se trata de assuntos do coração, você segue sua cabeça ou seu coração?
Josephine: Acho que muitos órgãos entram em ação. Acho que é uma situação meio a meio. Você tem que ser lógico sobre as coisas, mas também precisa – não faz sentido estar com alguém que é perfeito no papel, mas por quem você não tem sentimentos.
Dylan: Tenho o cérebro muito disperso [e]tenho uma lista que leio quando penso em pular em algo, [coisas]que aprendi com todos os erros do meu passado. Tipo, estou com fome? Eu estou com sono? Eu estou com raiva? E eu me faço uma lista de perguntas. E depois disso, eu começo a fazer a ação e ainda ignoro tudo o que falei comigo mesmo e faço isso com meu coração de qualquer maneira. Então, é estranho, gosto de fingir que uso minha cabeça.

De um modo geral, vocês optam por um tipo de amor mais sensível – ou do tipo louco e obsessivo?
Hero: Acho que é um equilíbrio. Pode ser um ou outro, mas acho que pessoalmente precisaria dos dois.
Josephine: No momento já me sinto como uma mulher de 60 anos, estou pronta para sossegar e tomar chá.
Dylan: Você quer sensibilidade, certo? Mas você também não quer uma coisa monótona, você quer alguém meio maluco em alguns aspectos.
Josephine: Você precisa de um louco para combinar com o seu louco.

Josephine, se você estivesse no lugar de Tessa, teria escolhido Hardin ou Trevor?
Josephine: Eu escolho a terceira opção, eu mesma. E eu escolho ser solteira.

Cena favorita?
Josephine: Foi muito bom fazer as cenas da fraternidade com um grupo do elenco. Porque éramos todos da mesma idade e não os víamos há muito tempo. Eu sei que é uma resposta clássica, mas é sempre muito bom reunir-se com as pessoas. Então, as cenas de festa.

Vocês parecem próximos. Como foi a dinâmica no set?
Josephine: Foi muito diferente. Tivemos que forçar isso.
Hero: Nós nos odiamos. É só trabalho.
Dylan: Somos pagos para gostar um do outro.

Matéria: Grazia Magazine.
Por Nadia Salemme (28 de setembro de 2020).

Com shows de premiação sendo realizados por meio do Zoom e trajes para trabalhar de casa substituindo o código de vestimenta usual do tapete vermelho (a menos que você seja Zendaya, vestindo Armani no conforto de sua própria sala de estar), Hollywood parece muito diferente agora. E para Josephine Langford – a estrela australiana da franquia After – isso significou uma pausa momentânea de andar em um tapete vermelho e posar para fotógrafos, um ritual que ela admite que normalmente acha desconfortável.

“Acho que realmente luto com a autopromoção, isso me faz sentir desconfortável e narcisista. E é algo em que não sou, neste momento, boa”, disse Langford, falando à Vogue de Los Angeles. “E também, ninguém diz o quão brilhante é (no tapete vermelho), você aperta os olhos, eles salvam aquela foto e ela é divulgada… é uma arte inteira. Isso realmente me fez respeitar a modelagem, é uma habilidade.” 

Embora Langford – que cresceu em Perth, 23 anos, que reprisou seu papel como Tessa em After: Depois da Verdade – diz que há um aspecto da máquina de Hollywood que ela sente falta no meio de restrições de quarentena. “Sinto falta da interação que tivemos com os fãs dessa história. Não sinto falta do tapete vermelho em si.”

O primeiro filme da série After arrecadou quase US $ 70 milhões de bilheteria no ano passado, gerando a sequência After: Depois da Verdade. E Langford e sua co-estrela Hero Fiennes Tiffin (também conhecido como Hardin Scott), anunciaram recentemente que mais dois filmes virão na franquia: um terceiro filme, After: Depois do Desencontro, bem como um quarto, After: Depois da Esperança. (Em um vídeo recente postado no Instagram, Langford e Fiennes Tiffin disseram que estavam “animados” para revelar formalmente um “terceiro e quarto filmes estão oficialmente entrando em produção”).

“No primeiro filme, quando paramos, ela (Tessa) tinha acabado de passar por sua primeira experiência de amor e término (com Hardin)”, diz Langford, sobre onde os espectadores encontram Tessa em After: Depois da Verdade“E agora, ela saiu um pouco de sua bolha e está mais em contato com a realidade do mundo, e está em transição para a idade adulta. Ela está começando um estágio e está tentando seguir em frente com sua vida. Adolescente para o que quer que seja chamado (depois).” 

E com isso veio um guarda-roupa mais adulto: as camisetas em tom pastel e as blusas de manga curta floral foram substituídas por um vestido escarlate e roupas íntimas Victoria’s Secret, como as usadas em uma cena notável. “No primeiro filme, havia essa visão de ter Tessa em tons de rosa e pastéis e, em grande parte, refletir seu crescimento ao longo dos filmes e mudar seu estilo”, diz Langford. “Com este, nós crescemos dos tons pastéis e rosas, eu sinto que estou dizendo isso errado? Pastéis,” ela diz com uma risada, repetindo a palavra. “Portanto, neste filme, o estilo dela é mais maduro – ela cresceu e se tornou independente e queríamos refletir isso (em suas roupas).” 

Sobre seu traje de bad boy, o modelo de passarela Fiennes Tiffin se intromete: “Hardin gosta de usar botas pretas, meias pretas, jeans pretos. Boxers que são realmente escuras, quase pretas”, ele afirma. “Jaqueta de couro preta. Estou sempre disposto a colocar qualquer vestígio de cor, mesmo que essa cor seja o branco em vez do preto. Mas é tão adequado para ele. Tudo é preto. Calças muito justas.” 

A base de fãs dedicada da franquia After levou Langford ao status de modelo para as pessoas, embora ela insista que é um rótulo mais adequado para seu alter ego na tela. “Eu acho que há uma grande diferença, uma diferença muito, muito grande, entre um personagem ser um modelo e eu, a atriz. Eu não acho que sou”, diz Langford. 

“Acho que ela é um bom modelo, no sentido de que ensinou muitas pessoas sobre a autoestima e o valor da autoestima e da confiança. E mesmo que você tenha todos ao seu redor, e isso é mais pertinente no primeiro filme, se todos ao seu redor estão dizendo, ‘você é tão chato! Você é tão tenso! Por que não está bebendo?’ Não importa – é tão importante ser quem você é, e essa é uma jornada muito longa, aprender a amar a si mesmo.”

Ainda assim, está claro que a fama não é necessariamente fácil para Langford. O rolo compressor da cultura pop que é a série de filmes After – baseado nos livros best-sellers de Anna Todd para jovens adultos – despertou um fandom no nível de Twilight nas redes sociais. 

“Para mim, ainda é um conceito difícil de entender – que há pessoas por aí que apoiam você e seu trabalho, o que é tão legal”, diz Langford. “É algo que estou lutando para compreender. Só acho que é maravilhoso de muitas maneiras.” 

Matéria: Vogue Austrália


Josephine Langford nasceu no dia 18 de agosto de 1997 em Perth, Australia, filha dos médicos Elizabeth e Stephen Langford e irmã mais nova de Katherine Langford. Desde cedo, Josephine já sonhava em ser atriz e em 2013 iniciou sua carreira e desde então nunca parou.

Leia mais
Siga a Josephine em seu instagram oficial!
josephinelangford
MOXIE
PERSONAGEM: EMMA JOHNSON
DATA DE LANÇAMENTO: 2020
Sinopse
Baseado no livro com o mesmo título de Jennifer Mathieu e adaptado por Tamara Chestna, Moxie conta a história de uma garota (Robinson) de uma pequena cidade que é inspirada no passado de sua mãe, Riot Girl, e inicia uma revolução feminista em sua escola.
Veja as
Fotos
AFTER: DEPOIS DA VERDADE
PERSONAGEM: TESSSA YOUNG
DATA DE LANÇAMENTO: 2020
Sinopse
Hardin sempre será… Hardin. Mas será que ele é mesmo o cara profundo e atencioso que Tessa se apaixonou perdidamente ou têm sido um completo estranho o tempo todo? Ela gostaria de se afastar, mas não é tão simples assim.
Assista ao
Trailer
Veja as
Fotos
Into the Dark
PERSONAGEM: Clair
DATA DE LANÇAMENTO: 18/07/19
Sinopse
Into The Dark é uma série antológica de terror onde cada episódio é retratado durante um feriado ou data comemorativa.
Assista ao
Trailer
Veja as
Fotos
Status do site

Nome: Josephine Langford Brasil
URL: josephinelangford.com.br
Desde: 19 de Março de 2019
Contato: jlbrequipe@gmail.com
Design: Nana Design
Codificação: Uni Design
Online:
Número de visitas:

JLBR no Instagram
JLangfordBrasil
Parceiros